terça-feira, 26 de agosto de 2014

Review - Dodge Charger R/T



A Dodge lançou o Charger em 1966, baseado no Coronet, com o objetivo de integrar o efervescido mercado dos “muscle cars”. Sua primeira reformulação, entre 1968 e 1970, trouxe inúmeras mudanças estéticas. Em sua gama de motores, destacavam-se o “427 Hemi” de 425cv, “440 Magnum” de 375cv e “440 Six Pack” de 385cv, amplamente usados em outros modelos da linha Dodge e Plymouth.

O Dodge Charger é, sem dúvida, um dos esportivos americanos de maior sucesso, tanto por seu desenho de forte personalidade, como também por sua potência. Esse reconhecimento é refletido por várias participações do carro em filmes: Bullitt (1968), Corrida contra o Destino (Vanishing Point, 1997), Os Gatões (The Dukes of Hazzard, 2005), À Prova de Morte (Death Proof, 2007), a série Velozes e Furiosos, entre outros.

Desempenho em corridas

Classe E


O Charger é capaz de atingir, aproximadamente, 207kmh sem nitro e 226kmh com nitro, números semelhantes aos do Mitsubishi Eclipse GT e Nissan Silvia. Logo, não são valores muito altos. Sua aceleração é regular, comparando-se ao Dodge Challenger R/T. Entretanto, sua largada é relativamente mais forte que seu “irmão”, devido à curtíssima primeira marcha e seu poder de nitro levemente superior.

A dirigibilidade é o seu ponto crítico. Sua direção apresenta respostas lentas com esterçamento limitado, fatores que causam o subesterço (sair de frente nas curvas). Para agravar ainda mais, o Dodge sobresterça (sai de traseira) espontaneamente. Na Classe E, o carro deslizará em quase todas as curvas.

Classe D



Nessa especificação, é capaz de atingir por volta de 255kmh sem nitro e 277kmh com nitro. São bons valores, porém muito aquém do que se encontra no Challenger e Pontiac GTO, absolutos nesse quesito. Sua aceleração na Classe D é boa e, combinada com skills de poder de nitro, alcançam facilmente sua velocidade máxima. A largada perfeita se destaca somente aos carros de nitro fraco, pois está abaixo de Lexus IS300, Chevrolet Chevelle, Toyota MR2 etc.

A dirigibilidade permanece ruim e os números de handling diminuem, significando uma menor tendência ao sobresterço. Outro ponto negativo é a má absorção de impactos nos pulos, piorada com a pouca firmeza do carro, que resultam em redução de velocidade (somente o Challenger R/T é inferior nessa situação). Ainda assim, com menor desequilíbrio em relação às outras classes, o Charger é recomendável para a Classe D, em eventos como Mission Street e Waterfront Road.

Classe C


Com as melhores peças Ultra, a velocidade máxima passa a ser sua característica mais expressiva. Seu limite está entre 295kmh sem nitro, e 320kmh com nitro. Entre os “ex-T1”, são valores superados somente por Eclipse GT, Challenger R/T e GTO. Sua aceleração é boa, e com o uso de skills de nitro, podem garantir retomadas consideráveis de velocidade. Com mais oponentes de nitro forte, é essencial equipá-lo com skills Headstart para diminuir a diferença na largada.

Os números de handling caem novamente, mas com decréscimo sutil. Nessa classe, o Charger tem mais tendência a sair de frente, porém ainda deslizará caso o jogador solte o acelerador. O ideal é usar os freios antes da curva, desacelerando somente quando necessário.

Essa é a classe menos recomendada ao carro, visto que são necessárias peças e skills de último nível, para obter-se desempenho regular em pistas com mais retas, tal como Rockridge & Union.

Team Escape:

Provavelmente o modo de jogo mais adequado ao Dodge Charger, que possui boa resistência às batidas (maximizada com skills Collision Force) e retomadas de velocidade suficientes. Entretanto, deve-se atentar aos pulos em certas colisões e aos desvios das viaturas Rhino.

Drag Race:

O único evento restrito que o Charger pode participar é a Gridlock, da Classe C. Para um carro de nitro fraco, o Dodge tem fortes arrancadas e sua aceleração pode ser considerada boa. Mas devido a pouca capacidade de desviar do tráfego e o já mencionado nitro, está muito abaixo dos melhores carros para drags.

Preço:

Sua versão “Black” custa 800 SB, e a versão IGC “Blue” custa $150.000.

Curiosidade:

Com o patch das Classes em 2012, todas as versões do Charger foram retiradas da loja. Porém, pouco antes da versão IGC retornar, houve uma promoção com sua versão de Speedboost, vendida por apenas 480SB. Além de trazer consigo um slot (e ainda mais barato que o slot avulso), incluíam-se também peças race tuned, tornando-o praticamente maximizado para a Classe D.

Conclusão:

 O Dodge Charger R/T permaneceu com desempenho inalterado desde 2010, assim como ao seu “irmão” Dodge Challenger R/T. Infelizmente, suas reações simuladoras não são compatíveis às centenas de carros disponíveis no NFS World. Logo, é pouco competitivo, e útil somente em fugas e sprints com muitas retas.
Ironicamente, é também um dos carros mais divertidos para se pilotar. Ele não tolera erros, requer muita frenagem e derrapa como nenhum outro veículo do jogo. Portanto, o Charger é uma opção acessível para se divertir com os amigos e sobretudo, testar e aprimorar suas técnicas de pilotagem.

Informações sobre o colaborador:

Meu nickname no NFSW é HIPERVELOCE (Caio Daniel). Sou jogador desde 2011 e estou no servidor APEX.